Qual o melhor momento para iniciar a sucessão?

Tenho feito muitas palestras pelo Brasil e normalmente, ao final de cada evento alguns jovens herdeiros me perguntam: quando iniciar a sucessão? Como conscientizar meus pais de que o momento está perto?

Perguntas dificílimas de responder e que dependem de cada família.

Existe uma brincadeira no meio profissional de empresas familiares que retrata a seguinte história:

Um pai chega e fala para o filho:

– Filho, este é momento mais importante da minha vida. Vou iniciar o processo de sucessão na nossa empresa!

O filho responde:

– Pai muito obrigado por começar a sucessão, mas não sei se tem mais sentido. Você tem 98 anos e eu 70… anos.

É muito comum que os fundadores se vejam como imortais ou que tenham a expectativa de viver até os 250 anos de vida. A empresa é mais um dos filhos dos fundadores, e dessa forma, é natural que este processo seja difícil de ser iniciado, ou nunca se inicie.

Este fato pode ser um grande problema para a sucessão, pois entendo que a melhor estratégia é que a sucessão comece com os fundadores em vida.

Com os fundadores realizando o processo de sucessão, eles poderão atuar como conselheiros dos herdeiros e sucessores, em razão de sua experiência, e monitorar o processo de forma a garantir que os sucessores sejam excelentes gestores e os herdeiros atuem como efetivos membros do conselho, mas e se não conseguirem viver em sociedade? Neste caso a venda da empresa possa ser uma alternativa.

Quando comparamos os anos atuais com a década de 90 esta dificuldade era muito maior, sobretudo pelo motivo de os fundadores não terem muitas informações sobre este assunto e assim não poderem tratar a sucessão da forma mais adequada.

Com o volume de informações e empresas especializadas em sucessão este quadro está mudando, pois a família pode discutir mais cedo a passagem do bastão e o nível de sucesso da troca da geração aumentar.

Pela minha pesquisa mais recente, a taxa de sucesso subiu para 38% em relação à troca da primeira para a segunda geração e quando as empresas passam por um processo planejado de ações este número pode subir para 68%.

Pense nisto. Quanto mais cedo iniciar o processo de sucessão, com os fundadores presentes, e se possível assessorados por especialistas, os resultados tenderão a serem melhores.

Prof. Armando Lourenzo. Doutor e Mestre em Administração pela FEA/USP. Diretor da Ernst & Young University. Professor da FIA, USP e FGV.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *