O Desafio do Planejamento da Sucessão

Como mencionei no artigo anterior a sucessão é sem dúvida o maior desafio para as empresas familiares, sobretudo quando o ambiente familiar é conflituoso. O primeiro passo é fazer um plano que deve contar com a reflexão dos seguintes pontos:

  • Preparação adequada dos sucessores.
  • Administração de conflitos familiares.
  • Descentralização do poder.
  • Planejamento da aposentadoria do fundador.
  • Programa de desligamento gradual do fundador.
  • Participação da família no processo.
  • Planejamento patrimonial.
  • Escolha do sucessor.
  • Desenvolvimento conjunto da visão estratégica.
  • Adequação de agentes influentes.
  • Planejamento estratégico para a família e a empresa.
  • O início do Planejamento deve começar o quanto antes e ser formalizado.

É muito importante o planejamento sucessório para que se possa ter um resultado favorável em relação à sucessão, muito embora o planejamento não possa ser tomado como uma ferramenta à prova de todos os problemas; na medida em que os de ordem comportamental são muitas vezes imprevisíveis.

Outra reflexão em relação ao resultado do planejamento da sucessão é que se por um lado ele não pode garantir um final bem-sucedido, por outro ele cria um clima mais propício para o bom encaminhamento do processo em razão de conseguir antever possíveis problemas e, com estes, as alternativas de solução.

Drucker (1), reafirma a importância da resolução do processo sucessório para que a firma possa continuar existindo e indica uma solução que pode ser colocada em prática para melhorar o percentual de sucesso nos processos sucessórios: confiar a decisão sobre a sucessão a uma pessoa de fora, que não pertença à família nem à empresa. Quando a discórdia entre os familiares não permitir a solução para a escolha do futuro dirigente na troca de comando, a necessidade da presença de um árbitro externo antes do aparecimento do conflito pode ser uma alternativa.

A transição do poder, encarada como um processo e não apenas como um evento, é lastreada em diversos componentes:

  • sucedido,
  • sucessor,
  • organização,
  • família,
  • mercado, e
  • comunidade.

Esses componentes formam a base de estudo para o projeto de sucessão a fim de que possam ser trabalhados e estudados visando o não-comprometimento do resultado para a sucessão.

No próximo artigo detalharei como cada componente mencionado ou agente influente pode impactar no planejamento da sucessão e a sua real transferência.

(1) DRUCKER, P. Administrando em tempos de grandes mudanças. São Paulo: Pioneira. Cap. 04, 1995 .

  • Professor Armando Lourenzo: Doutor e Mestre em Administração pela FEA/USP. Diretor da Ernst Young University. Professor da FIA/USP/FGV.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *